A Escolha

Baixar Filme A Escolha

A Escolha

INFORMAÇÕES DO FILME

Nome Original: The Choice
Direção: Ross Katz
Ano de Lançamento: 2016
Duração: 111Min.
Nota null: 5,9
Trailer: Assistir

DETALHES DO ARQUIVO

Ídioma: Inglês
Legenda: PT-BR
Qualidade: BRRip
Nota do Áudio: 10
Nota do Vídeo: 10
Formato: AVI
Tamanho: 700MB

 

 

 

Sinopse e detalhes: Travis Parker (Benjamin Walker) tem uma vida confortável, um bom emprego, amigos leais e uma casa em pequena cidade costeira. Ele busca diariamente viver plenamente e acredita que um relacionamento sério limitaria o seu estilo de vida. Isso até que Gabby Holland (Teresa Palmer) se muda para a casa ao lado. Mesmo que ela tenha um namorado, a moça o instiga logo de cara e faz com que os dois se entreguem a uma relação que nenhum deles esperava. Baseado em romance do autor Nicholas Sparks.

Status: Atualizado com Legenda


UploadeD
BruploaD
BrFiles

LEGENDA: BAIXAR ou BAIXAR

RMVB LEGENDADO 363MB

UploadeD

BrFiles

 

VERSÂO HDRIP

UploadeD
BruploaD
BrFiles

A Escolha descrição e opinião

Em uma escala de 1 a 10, “The Choice” (PG-13, 01:51) é um 11 – e isso é um fato. Hmmm. Talvez eu deva esclarecer. É um facto, este é o 11º livro de Nicholas Sparks para vir para a tela grande e isso é significativo. Embora a adaptação Faíscas mais popular é o 2004 de “The Notebook”, raia de tela grande do autor começou no final do século passado, com o starrer “Message in a Bottle” Kevin Costner. O filme que completa a primeira decatlo cinematográfica Sparks ‘é 2015 do “The Longest Ride”. Por um lado, adaptações cinematográficas de seus livros fez um monte de dinheiro – uma média de quase 2 ½ vezes o que eles custam para fazer (e que está em americanos receitas de bilheteira só)! Por outro lado, apenas um filme Sparks ( “The Notebook”) recebeu mais de 50% comentários críticos positivos como contado pelo Rotten Tomatoes e Metacritic. Mas quem ouve as críticas, certo? Eu gosto de pensar que você está lendo este comentário porque a página do fã de filme FB é executado por fãs de cinema e para os fãs de cinema. Mas (grande, mas) … neste caso … estamos de acordo com os críticos. Temos desfrutado os filmes Nicholas Sparks que vimos (em diferentes graus, é claro) – incluindo “The Longest Ride” (seu último antes de este), mas “The Choice”? Não muito. Permitam-me explicar … Travis Parker (Benjamin Walker) é um solteirão de roda livre que vive em uma grande casa sobre as águas (o que algumas pessoas passaram a chamar) os “Bancos interior” da Carolina do Norte. Ele tem um barco, ele é acessível com um martelo e ele adora animais tanto que ele tornou-se um veterinário. (Você está desmaiando ainda?) Ele também é bonito e charmoso – e ele sabe disso. Na verdade, ele usa seus pontos positivos a flertar descaradamente e, por vezes de forma constante lançamento … mas nunca realmente comete. Seu novo vizinho é Gabby Holland (Teresa Palmer). (Naturalmente, ela vive na porta ao lado. Todo o melhor para Travis e Gabby no olho um do outro.) Gabby é bonito e tem um bod assassino. Ela é inteligente o suficiente para ser um estudante de medicina, assertivo o suficiente para reclamar quando o nível de ruído ao lado interrompe estudando e ela é uma pessoa bastante profundo, espiritual. Ela também adora animais. Ela e Travis cada um tem cães de grande porte, uma fêmea de Gabby e um macho para Travis. Diferente de seus animais de estimação, eles têm muito pouco em comum e suas personalidades, muitas vezes se chocam. Seu primeiro encontro inclui Gabby gritando com Travis e Travis dizendo Gabby que ela incomoda. Apesar de (ou talvez por causa) de tudo o que, é claro, eles se apaixonam. (E se você pensa que é um spoiler, então você provavelmente não sabe quem de Nicholas Sparks é e provavelmente não estaria indo para ver este filme de qualquer maneira.) Ele também não vai vir como uma surpresa para a maioria dos fãs de cinema que Travis e o romance de Gabby rapidamente se torna mais complicado do que simplesmente algumas diferenças de temperamento e da forma como eles vêem o mundo. Para começar, eles são ambos já nos relacionamentos com outras pessoas. Gabby está praticamente contratado para o tipo e belo e jovem Dr. Ryan McCarthy (Tom Welling) e Travis é “off-and-on” com a bela e dedicou Monica (Alexandra Daddario). Mas isso não impede que Travis ou Gabby de flertar com os outros e passar o tempo juntos em privado, e fazer … outras coisas, quando Ryan está fora da cidade e quando Monica não está por perto. Enquanto isso, Travis está sendo incentivado por sua irmã, Stephanie (Maggie Grace) e seu pai, Dr. Shep (Tom Wilkinson), que possui a prática veterinária, onde Travis funciona. É claro que, mais cedo ou mais tarde, Monica está indo para vir ao redor novamente e Ryan vai voltar para casa. No interesse de evitar spoilers reais, não vou dizer-lhe como esses encontros inevitáveis ir e não vou falar sobre “a escolha” referenciado no título do filme … mesmo que a primeira cena sugere fortemente nisso.

“The Choice” é previsível, demasiado estereotipada e não muito romântico. O filme enfatiza o bonito sobre o fofinho. As cenas bonitos são uma mistura de tipo de bonito e levemente irritante, enquanto as cenas românticas precisar de mais … Sparks. Os problemas começam com faíscas ‘excesso de confiança em uma fórmula cada vez mais cansado, de Bryan Sipe irrealista, imoral (com tudo o que de engano e decepção) e às vezes roteiro bobo e Ross Katz “direção sem inspiração, mas o maior problema é as duas ligações românticas. Walker parece estar emprestando muito fortemente a partir do Matthew McConaughey Livro de charme do Sul, e, especialmente em determinados ângulos, Walker parece distractingly como um jovem Liam Neeson (uma percepção apenas reforçada por ver a irmã de sua personagem interpretado pelo mesmo jovem que jogou Neeson de filha nos filmes “tomado”). Por sua parte, Palmer não fazer nada para fazer-se mais atraente quando seu personagem começa a mostrar interesse na personagem de Walker – ou até mesmo fazer qualquer esforço para parecer simpático. Sua atuação é apenas passável e, pior ainda, eles têm tanta química na tela como um par de tubos de ensaio vazios. Tão mau como tudo o que é, a parte do filme depois dilema titular do filme é revelado, mas antes que a escolha é feita realmente é interminável. Hard-core Nicholas Sparks fãs podem gostar deste filme, mas apresentados com … a escolha, eu sugiro apenas assistindo “The Notebook” novamente. Minha escolha é para dar a este o romance unromantic um “D +”, enquanto esperando que os próximos dois adaptações Sparks ( “At First Sight” e “True Believer”) conseguem ser mais tocante … ou, pelo menos tolerável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *